quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Expomusic 2010

Como todo mundo já sabe (e quem não sabe vai saber agora), foi realizado em São Paulo de 22 a 26 de Setembro de 2010 a Expomusic. Essa postagem era para ter sido publicada em Outubro/Novembro de 2010, mas como disse na primeira postagem deste ano, 2010 foi um ano atípico - muitas, mas muitas horas extras mesmo - e por isso só agora consegui um tempinho para editar as fotos e escrever essa resenha.

Fui lá (no Expo Center Norte - um pavilhão de exposições localizado no distrito de Vila Guilherme, na região norte de São Paulo) no dia 25 de Setembro, que era o primeiro dia aberto ao público. Fui com a camiseta abaixo - que inclusive foi fotografada por um fotógrafo profissional e nem sei que fim teve isso - que na minha opinião representa bem o espírito dessa exposição :



Não sei se ano passado fui eu que cheguei tarde ou se esse ano a organização estava melhor, mas sei que juntamente com o convite recebi um mapa com a localização de todos os expositores no pavilhão. Esse mapa quebrou um super-galho, já que o pavilhão é bem grande.

Nessa feira de 2010, em relação a anterior de 2009, notei as seguintes diferenças :
- a organização dos stands estava bem mais coerente. Guitarras, baixos, violões e afins estavam próximos, publicações e cursos em outro lugar, stands de iluminação, palco e demais acessórios em outro setor da feira. Não sei se foi proposital mas gostei dessa disposição.
- havia mais catálogos disponíveis ao público que no ano passado.
- havia menos modelos de shortinho curto e mais instrumentos (eu prefiro muito de ambos... eheheheh).
- a tamanho dos stands era bem confortável para o publico caminhar dentro.
- havia muitos produtores nacionais de instrumentos e acessórios, e com boa qualidade.

Essa foi a entrada da exposição:



Logo de cara o que chamava a atenção de todos os que entravam era o stand da Musical Express com enormes fotos do KISS, promovendo as novas correias e palhetas decoradas com fotos de Gene Simmons, Paul Stanley, Peter Criss, Eric Singer, Ace Frehley e Tommy Thayer. E aqui vai o primeiro puxão de orelha dessa feira: o pessoal da Musical Express precisa aprender a ser mais educado com o público, afinal somos nós que compramos os seus produtos... os demonstradores eram mal humorados, antipáticos e não estavam com a mínima vontade de falar sobre os produtos... lamentável...





Já a Equipo esse ano arrasou com seu stand - enorme - e com várias guitarras Ibanez, Cort e Groovin'. Os seguranças na frente das Ibanez estavam engraçados, parecia o Fort Knox... alta segurança para as Ibanez...



Mas o que chamou a atenção foram grandes painéis com guitarras Ibanez e respectivos endorses (Joe Satriani, George Benson, Steve Vai, Mick Thomson...). Foi uma sacada genial e que deu grande destaque aos instrumentos.





A linha Prestige também foi destaque no stand da Equipo:



Outra peça que chamou muito a atenção de todos foi a réplica do baixo machado de Gene Simmons (KISS) que está sendo produzido pela Cort. Muitas pessoas foram lá tocar e tirar foto com esse famoso baixo. Aproveito para agradecer ao Sander da Equipo e ao pessoal da Made in Brazil que me ajudaram a ser o 1º proprietário desse incrível instrumento aqui em São Paulo.



A Tagima veio com um stand parecido com o de 2009, porém menor e com telões que passavam video aulas de Kiko Loureiro, Mozart Melo e Joe Mogharabi.



Os bateristas também tinham sua vez na ExpoMusic 2010 :



Já a Strinberg, diferente de 2009, optou por um stand pequeno, recheado de guitarras Flying V:



E olha que legal: em 2009 eu senti falta das guitarras B.C. Rich na ExpoMusic, mas em 2010 a C.Borges Import estava lá com vários modelos.



O balcão da revista Guitar Player Brasil também estava muito concorrido, com bastante edições anteriores à venda para quem queria completar a sua coleção ou adquirir um exemplar específico.



Outro stand muito concorrido e que me chamou a atenção foi o da revista Roadie Crew, que estava vendendo ótimos CD's a um preço pra lá de justo : R$15,00 !!!



O stand estava lotado de pessoas COMPRANDO os CD's. É o que muitos sempre dizem : cobrem um preço justo que não há pirataria que aguente ! É logico que todo mundo prefere o produto bom, de primeira linha/categoria, mas se o preço é obscenamente alto (como são os CD's e DVD's oficiais), não há como resistir ao pirata da esquina por R$4,00 .... óbvio ...

Mas a feira continua e em certas partes a impressão é que estamos dentro de um grande show de música :



A Peavey esse ano caprichou no seu stand, bem chamativo, com sua nova linha de belas guitarras, os amplificadores Vypyr e o JSX 212 Joe Satriani Signature.





As marcas Casio, Pearl e Octagon também marcaram presença na feira (a Octagon fazendo um barulho monstro por sinal... de cair o queixo as demosntrações de suas baterias).



E para minha surpresa e profunda alegria vejo a placa baixo : Finch voltou !. A Finch foi uma marca que entre os anos 70 e 80 teve uma certa notoriedade no meio musical, produzindo instrumentos muito bonitos e que se destacavam em realação aos demais - enquanto os outros fabricantes nacionais ficavam no arroz com feijão de sempre, eles variavam bem a sua linha com Explorer, Flying V, SG e por aí vai... O luthier Sebastião Machado da Silva estava lá. Mas confesso que minha alegria foi pelo ralo após conversar com ele... Tenho uma Flying V produzida por eles que está detonada e quero consertar, então nada melhor que o próprio luthier da marca para fazer isso certo ? Pensei assim mas o papo do cara era tão desanimado (tipo "É... leva lá... eu dou uma olhada...) que até desisti de levar meu instrumenmto lá para reformar... mas ainda assim desejo boa sorte no retorno da marca.



Bom, do meu ponto de vista o stand da foto abaixo foi o mais inovador de toda a feira em termos de instrumentos musicais. Foi bom ver que haviam muitos produtores de instrumentos e acessórios musicais do Brasil na feira, mas esse superou qualquer instrumento no quesito visual :







No stand da Stewart havia um contrabaixo enorme (olha só a guitarra ao lado dele para terem uma idéia) que creio que dava fácil fácil para viajar no estojo dele.. eheheheh... Mas o interessante mesmo foi a "cara de pau" das guitarras 'cover' da B.C. Rich e Paul Red Smith .. confiram :



E nesse ano a Made in Brazil caprichou no seu stand e - para minha total alegria - caprichou pra valer no stand da Dean. Para quem leu o post da feira de 2009 viu que quase não achei as guitarras Dean de tão escondidas que estavam - mas atraindo muito a atenção de todos. O stand era lindo e sinceramente foi uma pena eu não poder ficar para ver a apresentação de Vinnie Moore.





Nessa feira o que me decepcionou muito foi o stand da Fender : totalmente igual ao do ano passado, se bobear até a ordem de arrumação das guitarras na parede foi a mesma.. é só olhar no post de 2009 para conferir....



O stand de Seizi Tagima também estava lá, mas não atraiu a atenção do público - na minha opinião - apresentando somente variações de cores de stratos.
E outro que também não causou sensação nenhuma foi o stand da Zoom, pequeno e igual ao do ano passado..





A Gibson e Epiphone também não inovaram muito este ano não, montando basicamente o mesmo stand de 2009. Mas Gibson é Gibson, e é sempre bom dar uma olhada nessas belezuras :



Na Epiphone o destaque fica para a Explorer branquinha e para o violão modelo Elvis Presley.



No site da Roland/BOSS a montagem também seguiu a mesma forma de 2009. O stand da BOSS estava muito concorrido, com muitos músicos querendo testar as novidades da BOSS e os pedais já consagrados. Já na parte da Roland os músicos abaixo deram um show de teclados com uma versão prá lá de apimentada de Beat It, de Michael Jackson.



E de repente senti uma vontade enorme de largar a guitarra e partir para um teclado... por que será ???? rsrsrsrsrs....



Sobre a foto abaixo juro que achei um crime.... tudo bem a BOSS comemorar suas 10 milhões de unidades vendidas, mas colocar essa plaquinha em cima dos pedais ficou muito feio (opinião minha, ok ?)... Em clássico não se mexe !!!



O próximo stand que visistei foi o da Ibox, uma empresa voltada para a eficácia e excelência em atendimento e qualidade no ramo de suportes para instrumentos e acessórios musicais. O pessoal do stand estava super animado, e pelo jeito as vendas estavam indo bem pois os acessórios eram muito legais.



No destaque abaixo a munhequeira preta 'BLAZE DRAGON' indicada para absorção de umidade. São fabricadas com matéria prima de alta qualidade, proporcionando conforto e visual arrojado.



E ao lado do stand estavam Marcos de Ros e Maranhão, endorses da marca, muito simpáticos com todos os fãs que passavam ali para cumprimentá-los e tirar fotos...
O show do Maranhão foi fantástico, deixando todos ali impressionados com a sua técnica.



Abaixo o detalhe dos pedais de Maranhão :



Stand da Giannini.... fica meio difícil falar da marca porque tive uma guitarra - a Super Sonic - e um amplificador dessa marca e nunca fui tão infeliz com um instrumento como fui com esse.... Mas tentando ser o mais imparcial possível, o stand não tinha muita gente não, as guitarras e baixos não tinham nenhum atrativo a mais que outras (e um dos atendentes me contou que nem são mais feitas no Brasil, são fabricadas na China e finalizadas aqui)... O novos pedais Axcess não entusiasmaram as pessoas que passavam lá para testá-los.... realmente uma pena para uma empresa brasileira que tinha tudo para dar certo, tendo em vista que muita madeira dos melhores instrumentos importados sai daqui do Brasil...



Pior ainda o stand da Di Giorgio, largado às moscas... Em tempos de Ovation, Takamine, Crafter, Martin e etc... acho que está mais do que na hora de reciclarem sua linha de violões...



A feira não é só de instrumentos não... tem também acessórios, stands de conservatórios de músicas, apresentações, roupas (Lady Snake estava lá novamente em 2010) e miniaturas como essas abaixo:



Os cabos Santo Ângelo também marcaram presença na feira:



No stand da Tecniforte aconteceu um lance muito engraçado: beldades de shortinho bem curto, pernas grossas e belos rostinhos foram solenemente ignoradas pelo bando de marmanjos que prestavam a atenção em... Marcio Sanches, endorse da marca....kkkkkk



Também, com uma réplica da Red Special e tocando hits do Queen, realmente ele robou a cena... Pois é... tempos modernos é isso aí.... ;-)

A Michael foi outra marca que estava na feira com um stand prá lá de estranho, misturando guitarras, baixos, carros e mulheres bonitas.... Ei! Isso dá rock'n'roll !!!





Outra empresa brasileira a marcar presença na Expomusic 2010 foi a Rozini, com toda a sua linha de violões.



A Golden aproveitou a feira para lançar a sua linha 2010, com belas pinturas em suas guitarras:





Como sempre, Andreas Kisser também compareceu na Expomusic, também sempre gentil e simpático com os fãs, mas aqui vai protesto contra o pessoal das cordas NG, que com uma antipatia fora do comum retiravam todos os que estavam em volta do stand sobre o argumento que para tirar fotos de Andreas era preciso entrar na fila.... Ô imbecis : aquilo lá é um lugar PÚBLICO, e a Lei 9610/1998 (lei federal) me permite fazer isso (
Art. 48. As obras situadas em locais públicos podem ser representadas livremente, por meio de pinturas, desenhos, fotografias e procedimentos audiovisuais.)...
Então pessoal da NG.... vão a m**** ... Eu estava tirando fotos DO Andreas e não COM O Andreas...



Mas tirando esses babacas de sempre, a feira foi isso aí... Esse ano não fiquei para ver as atrações, pois quem entra na feira cedo e anda por tudo aquilo (ainda por cima carregando câmera, catálogos e uma canela pesadona, brinde da Guitar Player) acaba sem pique para enfrentar filas para assistir os virtuoses...

Em 2011 tem mais.... E os vídeos eu posto logo em seguida..

4 comentários:

DPaz disse...

Cara.....você tem o endereço da fabrica ou atelier da Finch? Ou qualquer contato tambem serve...Desde já agradeço...

Wandeck disse...

DPaz,

Desculpe a demora em responder. Ando hiper-enrrolado no trampo e fiquei um tempo distante do blog, mas já estou voltando.

A Finch ficava na região da Rua Santa Efigênia, se não me engano na Rua General Osório... Acho que ainda continua lá...

Pensei em levar minha Finch lá, mas a desanimação do luthier no stand da Finch era tão grande que estou considerando a hipótese de levar em outro luthier...

Boa sorte por lá!

Anônimo disse...

DPaz. Consegui o contato dele. É o Sr Sebastião. (11) 3333-1351
Rua General Osorio 47 S 2, -
St Efigenia. São Paulo - SP

Anônimo disse...

DPaz. Consegui o contato dele. É o Sr Sebastião. (11) 3333-1351
Rua General Osorio 47 S 2, -
St Efigenia. São Paulo - SP